Causas de pênis pequeno – Entenda de uma vez

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

É um desejo de quase todos os homens que seu pênis tem um tamanho maior. a maioria das situações o órgão nasce em formato miniatura ou por diversos Outros fatores aparentar ter um tamanho menor, como no caso de doenças congênitas e clínicas e até mesmo características genéticas.

O comprimento do pênis pode ser afetado por situações como diabetes, tabagismo, obesidade e também pelo envelhecimento, que causa a retração do membro. Portanto,  é importante que o homem tenha hábitos de vida saudáveis,  e uma ótima dica para a saúde do seu órgão sexual é manter relações sexuais com frequência.

A Sociedade Brasileira de Urologia afirma  que um pênis pode variar de 5 a 10 cm quando está flácido,  podendo chegar a 15 cm durante uma ereção. A insatisfação com o tamanho do órgão sexual é assunto de várias rodas de conversa,  e muitas das inseguranças masculinas vêm de crenças criadas na infância,  muitas vezes estimuladas pelos pais.

Neste artigo você poderá conferir doenças ou situações em que o seu membro pode nascer menor ou apenas aparentar um tamanho pequeno:

Conheça 9 causas do pênis pequeno

1- Micropênis

Quando o tamanho de um órgão ereto fica abaixo de 7 cm, e  quando flácido  é menor que 4 cm,  ele é considerado um micropênis.  É uma doença  considerada rara pelos médicos e especialistas. É congênita e hereditária. Se desenvolve ainda no útero durante a gestação e ocorre por motivos hormonais.

Quando é descoberta na infância é possível encontrar formas de estimulação do pênis para o seu crescimento.  O tratamento, a base de testosterona, começa na pré-adolescência,  sob a orientação  de um especialista.  não há tratamento para aumentar o tamanho do micropênis na idade adulta.

Com frequencia é acompanhado de outras alterações da genitália como criptorquidia, testículos diminuídos e defeitos de fusão da bolsa escrotal. Muitas vezes têm indicação de distúrbios de diferenciação sexual.

2- Fimose

  Uma doença que a maioria das crianças têm e que por volta de sete ou oito anos pode desaparecer espontaneamente. Os  adultos também pode ter ao longo da vida por conta de problemas de saúde como a diabetes. Nesse caso o problema vem acompanhado de coceira vermelhidão e dor durante as ereções, Atrapalhando na hora do sexo.

Nesta enfermidade, o pênis é encoberto por uma pele, e fica incapaz de expor a glande, ou seja, a cabeça do pênis,  por causa do prepúcio. Por conta disso, a impressão que se tem é de que um membro está menor. Diferentemente de outras doenças,  não é possível puxar a pele. 

O tratamento pode ser feito de duas formas:  com o com o uso de pomadas especialmente para esse uso,ou através de uma cirurgia chamada de postectomia mais conhecida como circuncisão. Ambos os tratamentos podem ser usados em crianças ou adultos,  fazendo   o pênis  voltar à sua aparência normal. 

3- Pênis Embutido

É uma rara condição do pênis que não é considerada necessariamente uma doença. Neste caso, o órgão tem tamanho normal mas fica escondido sob a pele por conta de acúmulo de gordura no tecido púbico ou na bolsa escrotal,  impedindo a exposição completa do membro. 

Esta condição está relacionada a síndromes metabólicas diabetes e questões da obesidade,  podendo ocorrer em crianças ou adultos obesos. É muito comum um diagnóstico tardio pois esse problema é atribuído diretamente a obesidade.  O diagnóstico é considerado grave em casos em que o pênis exposto é menor que 2 cm nos meninos de até 3 anos de idade.

O tratamento é feito através de cirurgia  corretiva. Um procedimento complexo que envolve várias técnicas desde a abertura do prepúcio,  colocação de cateter da uretra,  divisão de ligamentos do pênis até a sutura do prepúcio ao corpo do pênis novamente.Em casos mais graves é necessário também cirurgia de lipoaspiração na região,  aliada a dieta e prática de exercícios físicos. 

4- Envelhecimento

A partir dos 40 anos o homem sofre um progressivo declínio da sua função hormonal, ou  seja,  a diminuição de testosterona no organismo. É um processo natural e inevitável mas que causa sintomas muitas vezes imperceptíveis que só são notados quando acontece a diminuição da libido, aumento de gordura corporal e  disfunção erétil entre outros sintomas.

Além da diminuição geralmente tem hipertensão ou diabetes,  situações que aumentam a piora progressiva do seu aparelho genital.  Alguns  podem sentir um encolhimento  de seu órgão mas  ao esticá-lo, o tamanho permanece o mesmo de quando era jovem.  Isso ocorre por conta da diminuição do número de ereções e consequentemente nas relações sexuais.

 O  processo de envelhecimento é  natural, portanto para diminuir a sua progressão o ideal é ter uma vida saudável e em alguns casos,  a busca por um especialista que indique medicamentos para disfunção erétil e terapia de reposição hormonal. além disso, manter relações sexuais e se masturbar é um hábito muito importante contra a atrofia do tecido peniano. 

5- Síndrome metabólica

Esta síndrome está diretamente relacionada aos problemas de obesidade, hipertensão arterial, colesterol e triglicerídeos altos e diabetes. Além  de causar um grande risco de ataque cardíaco e acidente vascular cerebral,  a síndrome metabólica causa uma baixa na produção do hormônio masculino pelo testículo diminuindo o seu apetite sexual e incapacitando as ereções.

Sendo assim o quê há não é uma diminuição de tamanho do pênis,  mas sua potência é que não será mais a mesma. Com a pouca circulação de testosterona no sangue somada os problemas causados pelas doenças pré-existentes o órgão sexual masculino não conseguirá atingir a sua total potência aparentando diminuição no estado de flacidez

Para o tratamento da síndrome metabólica é necessária uma mudança de hábitos e o controle dos fatores de risco.   estas atitudes vão melhorar as ereções e consequentemente o pênis voltará ao seu tamanho normal.  Pode-se ainda consultar um especialista que indicará medicamentos especializados para o tratamento das ereções. 

6- Cirurgia na próstata

A próstata é um órgão exclusivamente masculino. Fica localizada na parte baixa do abdômen; Lá é produzido o sêmen,  líquido espesso que contém os espermatozóides.   Essa região do corpo é suscetível ao câncer e quando esse problema  está localizado apenas na glândula é indicada a retirada da próstata através de cirurgia.

A cirurgia não  causa uma diminuição do órgão em si mas a modificação do seu 

tecido e com isso a diminuição  da capacidade de ereção, pois após a retirada da próstata é necessário a união da bexiga com a uretra, o que modifica o tecido erétil, mesmo sem retrair o órgão.

O câncer de próstata pode ser prevenido desde que tenha uma alimentação saudável,  de que se mantenha o peso corporal adequado, que se  pratique atividade física e não  fume.  A partir dos 40 anos,  todos os homens devem realizar exames de toque ou sangue,  junto ao seu  urologia. Mas,  se houver necessidade de cirurgia,  a estimulação através de relações sexuais ou masturbação,  logo após a intervenção,  é bastante indicada. 

7 – A saúde mental.

O mundo atual está repleto de fatores que podem causar ansiedade, estresse, depressão. Todos esse problemas podem acarretar em disfunção erétil, e em uma momentânea diminuição do pênis. Por isso, a qualidade de vida masculina  é tão importante. Evitar ambientes estressantes, excesso de trabalho, preocupações é de grande ajuda. 

Mas, se o homem não consegue se livrar desses transtornos, é preciso buscar ajuda de especialistas como psicólogos e psiquiatras. eles avaliarão a necessidade de terapia, ou o uso de medicamentos para que o estado emocional não atrapalhe a vida sexual dele.

8- Pênis palmado

É uma anomalia congênita  que causa um defeito na angulação entre o pênis e a bolsa escrotal, que normalmente é menos de 90 graus. No pênis palmado, a implantação da bolsa escrotal ocorre mais próximo à extremidade do pênis, tornando o órgão  aparentemente menor. O tratamento é cirúrgico, que consiste em uma retirada  parcial da bolsa e uma plástica da junção entre o pênis e a bolsa escrotal.

9 -Doença de Peyronie

Acontece quando há  formação de placas fibróticas cicatriciais nos corpos cavernosos do pênis,  podendo levar ao encurtamento assimétrico do pênis, que caracteriza esse distúrbio.

A doença de Peyronie ocorre por meio de fibroses no pênis que podem provocar deformidades, como a curvatura,  o  afinamento, a redução de  tamanho e um acinturamento do pênis, que costumam estar associadas a impotência sexual na maioria dos casos.

Seu tratamento é feito através de medicamentos, fisioterapia ou remédios injetados diretamente no pênis.Quando esses tratamentos no fazem o efeito esperado é um caso cirúrgico. Nessa intervenção é corrigida a curvatura do pênis, retirando-se a placa fibrosa por tecido normal e em alguns casos, a colocação de uma prótese peniana.

Além dos problemas listados acima, o tabagismo afeta consideravelmente as artérias do pênis, diminuindo a circulação do sangue. Influenciando a capacidade de ficar ereto do pênis e prejudicando seu desempenho sexual.

Embora a maioria dos tratamentos sejam através de cirurgia, especialistas afirmam que essas intervenções podem se tornar verdadeiros desastres, porque essas alterações podem prejudicar ainda mais o genital masculino e até ser uma ameaça à vida do homem.

Neste artigo temos a intenção de listar possíveis problemas que possam causar um pênis pequeno ou a diminuição do órgão em algum momento. Se você ou alguém está passando por essa situação, sempre procure seu médico de confiança.

Dr. Carlos Nóbrega

Dr. Carlos Nóbrega

Veja Também

Deixe um comentário